de olhares

mesmo assim, procuro desatar-me um pouquito ao resto, os braços:

de um, cruzados protegendo o peito, cuidando-se;

de um, estendidos acompanhando o extenso, em pose;

de um, lado a lado apoiando o queixo, sem pedir sem precisar, mas querendo;

de um, que ainda não decidiu ser parte ou inteiro, segurando-se ao outro aproveitando o próprio gosto.

tento vê-los, os quatro, em languescer ao pé da árvore e, não consigo.

como quem tem corpo os olhares evocam.

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s