Declaração de Vontade

enfim em paz. estava cheia de perguntas erradas. soltou o cabelo e foi se lavar. o chão da cabeça rangia às unhas na esfregação. alguém precisava fazer direito: sem furos, sem pontas, no plano. o contrato dizia: nada de bisbilhotar. basicamente ela o queria invisível. O Contrato! arrancou os óculos, ensopou o assoalho, borrou as linhas, o papel amoleceu. ao lado, uma mensagem no celular:  a caminho do Equador, esqueci de perguntar: já te prometi alguma coisa? basicamente ele a queria(.) – o chuveiro parou de pingar. a saboneteira seca, vazia.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s