Pensei que fosse só eu

Um menino encostou-se à parede para não cair ao escutar um lindo dueto – um desequilíbrio.
A beleza,
quando fica dentro de mim enlouquece. Grande demais, não cabe, precisa sair pelos poros.
Isso é arte.Uma tentativa de colocar pra fora o que não cabe mais dentro.
me peguei com os olhos abertos estatelados parados o ar secando o brilho sumindo não podia piscar piscar é fechar e abrir eu abri e lá queria ficar com o pé fincado não com o pé não com o olho mesmo já que a beleza não podia sumir nem por um segundo a janela não podia fechar a janela não é a janela do olho sim pois a beleza era plana não era redonda como o olho e até foi por isso que o visível durou um tempo mais já que a forma arredondada do olho protegia a forma plana da beleza da forma do ar que é sem forma e agora importa.
_ Importa em me dizer sua idade ?
Olho para os lados e ninguém há além de mim, então sou eu mesma.
Aqui estou, mas não cheguei, apenas estou.
Ainda tenho o doce vermelho do pirulito na boca, ainda fico ansiosa antes de fazer alguma coisa pela primeira vez , ainda quero beijo na hora de dormir, ainda ainda ainda.
Arrancada do chão duro sem nada entender , pensei que fosse só eu :
o desiquilíbrio a beleza a loucura a arte o que importa.
Gerusa Pedreira e Silva

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s