Cutucando o futuro

Registro
Hoje fui assinar um documento, assim como assino todos os dias.
Ao posicionar a caneta no papel, parei, detive-me e não puder fazer a tinta ter outro destino, pelo contrário, ela ficou ali parada, estática, com vontade de fazer arte. A arte foi apenas sua, não pode dividir com outros, ficou só na imaginação. Então, arte mesmo nem existiu.
Algo me impediu de seguir em frente, foi a data que já estava escrita no papel. Uma data que eu havia escolhido para alguém colocar ali. Uma data futura.
Como registrar o incerto ?
Narciso e Eco
Narciso encantou-se com a própria imagem, e vivia buscando-a na esperança de possuí-la.
Impossível trocar com ela .
Eco encantou-se com a própria voz, e vivia buscando-a na esperança de possuí-la.
Impossível trocar com ela .
Esse sentimento de incompletude presente gera a busca, perseverante. Talvez uma frustração sem fim, ou talvez apenas fome de vida.
Como tornar concreto o abstrato ?
Céu
Percebendo a claridade no ambiente ela levanta a cabeça e procura a fonte. Quer saber quem é capaz de trazer luz assim ! É que ela não é daqui, de dentro dessas quatro paredes que ela mesma ajudou a construir. Proteje-se da chuva, do vento, do sol, mas só por um tempo, pois o que quer é continuar fazendo parte do todo, da sua raíz, da natureza.
Traga-a notícias lá de fora. É lá que a vida segue seu curso, é lá que se corre. Se muito tempo ela passar aqui, diga-a pelo menos onde está o mapa, para depois ela seguir atrás.
Enquanto isso, como é que está o céu lá fora ?
Gerusa Pedreira e Silva

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s