fantasme

dois três quatro acontecimentos – contínuo, percurso, ciclo, vício, desde sempre. é a realidade, a história prescindindo dos de repentes. do céu escurecido ao sol incansável, do nascer à sina de morrer, do coral ao calcário somos todos: peixe, pés, pedra. e, no tempo desconhecido e certo, ainda assim há a insistência na fuga. se depois gosto vivo sem? daí que o temido não é o novo, é a falta.